Atolado em dívidas e encrencado com a justiça, grupo JBS – controlador da Anhambi, pode aplicar calote a fornecedores.

12

Especialistas em análise de mercado alertam para o risco do grupo JBS dos irmãos José Batista Júnior Wesley Batista não dar conta de honrar compromissos com fornecedores. As ações das subsidiárias da holding estão perdendo valor nas bolsas de todo o mundo. Os Batistas já foram arrancados por decisão judicial do comando do grupo; retornaram mediante acordo; não cumpriram o avençado e, agora, o Ministério Público Federal pede o bloqueio de mais de R$ 3,8 bilhões das contas de Wesley Batista.

O JBS deve mais de R$ 12,8 bilhões ao BNDS. A monstruosa dívida fora contraída entre 2002 e 2013, de acordo com levantamento da ONG Contas Abertas. Sem capacidade para contrair novos empréstimos, com os procuradores e policiais federais alisando a bunda do boi dos irmãos Batistas, o grupo JBS definha financeiramente e acende a luz amarela para os milhares de fornecedores.

O frigorifico tangaraense de abate e produção de carne de frango (Anhambi) foi adquirido em 2016 pela Seara – controlada pelo JBS. Como especialistas avisam que a Seara está mal das pernas e recomendam negócios apenas à vista para não ser pego no contra pé, seria prudente seguir a mesma orientação com relação a controlada pela Seara. Negócios com a Seara, dona da Anhambi, só à vista, de acordo com a especialista em análise de mercado, Tânia Tozzi, do Canal Rural Bussiness.

Nota de esclarecimento da JBS / J&F

Em relação a notícia “Atolado em dívidas e encrencado com a Justiça, grupo JBS – controlador da Anhambi – pode aplicar calote a fornecedores”, publicada em 12 de fevereiro, a JBS e J&F reforçam que:

1 – A JBS não é investigada em nenhuma operação.

2 – O acordo com o Ministério Público Federal (MPF) citado na gravação não diz respeito à JBS.

3 –  A apuração em andamento trata de investimentos de fundos de pensão em projetos ligados à J&F, e a Justiça ainda não apresentou sua conclusão nem deliberou sobre o assunto. A J&F e seus executivos vêm cumprindo com todas as obrigações decorrentes do acordo firmado com o MPF em 13 de setembro de 2016 e é essencial registrar que esse acordo não se encontra suspenso.

4 – Outro erro do vídeo diz respeito ao valor pedido do MPF-DF de bloqueio de bens, que foi corrigido pelo próprio procurador de R$ 3,8 bilhões para R$ 1,75 bilhão.

5 – O MPF-DF recomendou a revogação das medidas contra Wesley Batista e a sua isenção do processo de investigação.

6 – Também são inverídicas as informações divulgadas pelo Rural Business sobre a situação financeira da empresa. A JBS tem uma trajetória de 64 anos, atua com mais de 100 unidades industriais no país, exporta para mais de 150 países e emprega 125 mil pessoas no Brasil. A receita líquida da empresa vem crescendo ano após ano e atingiu R$ 174 bilhões em 2015.

7 – A pontualidade no pagamento a fornecedores e colaboradores faz parte da história da JBS de forma inequívoca.

8 – A JBS esclarece ainda que não possui dívidas com o BNDES. O banco é investidor da companhia via BNESPar e hoje detém 20,36% das ações da JBS.

A J&F entende que os erros listados depõem contra o grupo de forma leviana e irresponsável, especialmente porque contrapõem as informações e orientações já divulgadas pelos órgãos públicos e replicadas em toda a imprensa.

O Grupo reforça que mantém seu compromisso de relacionamento responsável com todos os seus fornecedores e parceiros de negócio, o que inclui a manutenção com todos os seus compromissos.

Por isso, pedimos a imediata publicação desta resposta nos locais em que a reportagem foi publicada.

MauroTeixeira
Comunicação J&F e JBS

12 COMENTÁRIOS

  1. Para esses corruptos e corruptores o BNDES tem dinheiro para emprestar ou seja para dar.
    Mas para o pequeno empresário ou até mesmo um simples autônomo,esse não tem vez com o BNDES
    Dinheiro do povo para atender um minoria de canalhas fraudulentos.

  2. Só gostaria de entender qual é sua fonte pra dizer que o grupo está atolado em dívidas? O Sr. Teve acesso aos livros caixa da empresa? E de onde vem esta ideia que a empresa pode dar calotes aos seus fornecedores? O Sr.vem alguma informação concreta que a empresa não está honrando ou deixou de honrar seus compromissos? Acho que o Sr. deveria avaliar com mais responsabilidade, inclusive jurídica, as informações que divulga.

  3. A partir do momento que estão mal das pernas, podem pedir recuperação judicial, isto quer dizer, deixando de ter obrigatoriedade de cumprir compromissos com fornecedores. O que outro disse lá em cima é a mais pura verdade.
    “Dinheiro pra quem é honesto e quer trabalhar o BNDES não tem, mas pra safado sem vergonha não falta!”
    Aí vem gente defender essa raça

  4. Concordo com Donald Vilela e fica mais claro ainda ver a entrevista hoje publicada na Folha de São Paulo, em explicativo desta matéria. Excelentes perguntas feitas pelo Jornalismo da Folha e com respostas diretas do Presidente do Grupo Joesley Batista.
    Penso que deste modo ficará mais claro para todos, especialmente para avaliar a Anhambi.
    O Brasil precisa entrar em Ética para que a Moral seja respeitada e isto não se dará por meras denúncias ou defesas para consolidar este processo tão esperado pela Lava Jato e o Dr. Moro, não escapando culpados e nem culpando inocentes.

  5. Este Donald Vilela aí de cima deve fazer parte da quadrilha. Aprenda Sr Donald, que ninguém faz fortuna em uma geração se não for na base da roubalheira, que é o caso desta caterva da JBS em conluio com o PT, BNDS e o resto da bandidagem que assola o país.

  6. Quem viver verá . Basta o não cumprimento das obrigações junto ao BNDES , pra nos dizer o que acontecerá ao grupo JBS . R. Judicial será a saída, pois na atual circunstância não ocorrerão novos aportes junto ao BNDES . O momento é grave pros credores , funcionários ,pro Brasil . Uma empresa com este porte , embora com ressalvas sobre o seu crescimento , não merece esse fim . Faltou gestão e sobrou VAIDADE.

  7. No dia que nós brasileiros aprendermos a avaliar a real motivação de algumas noticias sem base sólida, vamos deixar de ter nossas ações a preço de banana para o Tio Sam comprar. Será que a maior empresa de agronegócio do mundo, que inclusive comprou empresas na América para se fortalecer, de fato é tudo isso que postaram….tem interesses por trás meus “patriotas”….já perdermos ativos demais de forma indireta….tudo muito estranho! Mineradoras, Petrolíferas e agora nossa outra maior riqueza tendo ações despencando….industria de alimentos….brasileiro, será que os americanos fazem isso lá também, com as deles???? Vale a reflexão….sempre existirá aleguem por trás….é o capitalismo….byby Brasil!!!!!

COMENTAR

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui