Baderneiros que interditaram a MT 170 exigem terra e cestas básicas; as autoridades estariam de bunda no chão?

0
Milicia do MST interdita MT 170 e inferniza a vida de quem depende da rodovia. Foto: captura de tela / Youtube / Revolta Popular

A rodovia MT-170 é de vital importância para a região Noroeste do Estado. Dela dependem dezenas de municípios. Valendo-se da anarquia generalizada que solapa o princípio da autoridade, acampados do MST deram uma banana para o Ministério Público, Judiciário, Legislativo, Executivo e interditaram o trecho entre Brasnorte e Campo Novo do Parecis.

O bloqueio já dura alguns dias e até o momento nenhuma providência para restabelecer a ordem e liberar o transito foi tomada por quem de direito.

Os mentores e executores do crime de obstrução de via pública justificam a baderna sob o pretexto de cobrar do governo federal que resolva a situação de 135 famílias acampadas há mais de três anos às margens da rodovia.

Gilberto Rodrigues Nogueira, os cabeça preta do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasnorte, alega que os invasores estariam enfrentando dificuldade, inclusive alimentar. “Além do assentamento dessas famílias, queremos 111 cestas básicas”, disse

Não fosse o Brasil um grande puteiro sem comando, a mesma força que oprime produtores rurais e incendeia maquinários já teria desobstruído a rodovia. Cadê a Procuradoria-Geral do Estado que ainda não ainda não requereu em juízo a liberação da pista? Cadê o MPE que ainda não tomou essa providência? Cadê os prefeitos da região? Não vou perguntar cadê os deputados porque aí seria exigir demais!

De acordo com informações que chegam ao blog, não há previsão de liberação da rodovia. As filas de carros e caminhões crescem nas duas direções da pista inversamente proporcional a paciência de motoristas e passageiros encalhados na estrada.

135 famílias não podem infernizar a vida das populações de dezenas de cidades. A ordem precisa ser restabelecida. Chantagem e atos de violência não podem intimidar as autoridades do estado.

Em um cartaz, os invasores avisam: “comunicamos as autoridades que só abriremos a rodovia após o alcance dos nossos objetivos”. Será verdade?

O discurso dessa gente é falacioso e inaceitável. Imagina se cada família que passa por dificuldades, inclusive alimentar, resolvesse interditar uma rua, a vida nas cidades se tornaria um caos.

Dificuldades existenciais se combate com trabalho.

Se o governo for distribuir cestas básicas para acampados do MST, deve fazer o mesmo com favelados e moradores de bairros periféricos das grandes cidades, onde o espectro sinistro da fome ronda barracos e casebres.

Enormes filas de carros e caminhões se formam nos dois sentidos da MT 170. Foto: reprodução/Internet

COMENTAR

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui