Sábado, 25 de Maio de 2019


Terça-feira, 14 de Maio de 2019, 09h:54 - A | A

MP 870 AMEAÇADA

Maia e Alcolumbre apunhalam Bolsonaro; Centrão faz chantagem por cargos!

O chamado Centrão se esforça para encurralar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e sequestrar seu governo

EDÉSIO ADORNO
Da Editoria de Política

Reprodução/Web

image

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, legítimos representantes da velha política, que tem o fisiologismo político no sangue e na gênese

Vencer as velhas raposas nas urnas foi relativamente fácil. O povo marchou unido, se estribou nas redes sociais, fez valer o sentimento de mudança e impôs fragorosa derrota ao consorcio de salteadores da República.      

Governar, mudar práticas, aniquilar a velha política e devolver o Brasil aos brasileiros é uma missão complexa, árdua e de alto grau de risco de dificuldade.      

O chamado Centrão se esforça para encurralar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e sequestrar seu governo. Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), lideram a marcha dos insanos.        

Os lacaios desse grupelho político exigem cargos para sua corriola de apaniguados. Estão dispostos a implodir o governo Bolsonaro. Em matéria de chantagem, é tudo ou nada. O Centrão surgiu durante a Constituinte. Desde então, se se mantém no poder, graças a sua capacidade de subjugar e de corromper governantes de plantão.      

A Medida Provisória 870, que trata da reforma administrativa, pode não ser levada a plenário para deliberação dos congressistas no prazo legal. Se isso acontecer, ela caduca, perde o efeito. Como consequência, ressurge a velha estrutura de 29 ministérios com milhares de diretorias e apetitosos apêndices.      

Não votar a MP 870 é tudo que interessa aos deputados e senadores do centrão. 07 ministérios serão recriados. Um quarteirão de poder político e financeiro que fascina a ratazana da velha política. Bolsonaro reage ou aceita a política de Maia e Alcolumbre, que se caracteriza pela chantagem por cargos e verba pública?

O circo está pegando fogo e o “tsunami” político se aproxima de Brasília. Enterrar a MP 870 faz parte do espetáculo

         

A decisão da Comissão Especial Mista do Congresso, que retirou o Coaf do Ministério da Justiça, foi um eloquente aviso ao presidente Bolsonaro, que deve se curvar ao modus operandi dos meliantes da velha política, fazer concessão aos pulhas da Pátria, admitir o centrão como sócio de seu governo ou não terá governo algum.    

A recriação do ministério das Cidades não basta. Os fisiológicos querem mais, muito mais. Querem se assenhorar do governo do capitão Jair Bolsonaro e dar as cartas.      

Rodrigo Maia tem viagem para fazer nada em Nova York. Vai ficar por lá alguns dias. Votações importantes serão empurradas para a próxima semana. O circo está pegando fogo e o “tsunami” político se aproxima de Brasília. Fazer a MP 870 perder validade pela caducidade é apenas um estratagema. Os canalhas também usam métodos.    

Jayme Campos    

O voto do senador Jayme Campos (DEM), contrário a permanência do Coaf sob o controle do ministro Sérgio Moro, diz apenas que ele é ator coadjuvante do Centrão.    

O cacique pantaneiro não está preocupado se o Coaf fica na Justiça, na Fazenda ou se vai para a Agricultura, Ibama ou para a Cochinchina.

Jayme cumpre ordem de Alcolumbre e de Maia. Sepultar a MP 870 abre um leque de oportunidades para a turma do centrão. Claro, o democrata será recompensado por seus esforços e por sua lealdade a causa dos vampiros da República.

A sociedade vai aceitar ou reagir?  

Imprimir




image
image
image
image


(65) 99978.4480

abroncapopular@gmail.com

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT