Sábado, 13 de Julho de 2024

COLUNISTAS Quarta-feira, 16 de Junho de 2021, 18:35 - A | A

16 de Junho de 2021, 18h:35 - A | A

COLUNISTAS / EDESIO ADORNO

O preço da desobediência será a morte em larga escala



A tragédia humanitária causada pela devastadora pandemia do novo coronavírus, que provoca a doença da covid-19 e mata em escala geométrica, parece se situar em um mundo distante do habitat de cada um e de todos nós.  

O sofrimento, a dor e o infortúnio do próximo já não sensibilizam corações petrificados pela indiferença a morte de parentes, amigos, vizinhos e conhecidos. Será que perdemos a capacidade de nos emocionar com o flagelo que aflige nossos irmãos?  

Com mais de 300 mortos pela covid-19, Tangará da Serra se transformou em zona de perigo. Nas redes sociais, os donos da verdade e sabichões de plantão cobram medidas enérgicas do prefeito Vander Masson de enfrentamento a disparada da doença. Quando essas medidas são adotadas, as mesmas figurinhas denunciam que o chefe do executivo está a promover o “cancelamento de CNPJs”.  

Nos finais de semana, aglomerações pipocam em diferentes pontos da cidade. Os mais acanhados fogem da cidade e liberaram todo o cinismo em atos de esbórnia às margens do Juba ou do Sepotuba, onde refestelam longe do alcance da fiscalização. O coronavírus participa da gandaia, se multiplica e agradece a todos pela colaboração.  

Hospitais públicos e privados estão abarrotados; os profissionais de saúde, exaustos e os coveiros se esforçam para cavar mais sepulturas. Afinal, a cidade não pode deixar insepulto seus cidadãos.

Se cada um e todos ao mesmo tempo não tiver consciência da gravidade sanitária do momento, resta lembrar as advertências dos apóstolos Pedro e Paulo, que deixaram um aviso bem claro: o preço da desobediência será a morte!  

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT