Sexta-feira, 21 de Junho de 2024

POLÍCIA Sábado, 14 de Março de 2020, 11:29 - A | A

14 de Março de 2020, 11h:29 - A | A

POLÍCIA / Risco a saúde pública

PJC desbarata máfia do mel falsificado; golpistas vendiam produto na região de Tangará da Serra

Criminosos foram detidos com mais de 310 garrafas de mel falsificado em Pontes e Lacerda

Assessoria/PJC-MT



Mais de 310 garrafas de mel falsificado produzido e armazenado em condições irregulares foram apreendidas pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (13.03), em investigação conduzida pela Delegacia de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá).

Dois homens que traziam o produto da cidade de Vilhena (RO) para comercializar em Pontes e Lacerda foram autuados em flagrante pelo crime de adulteração ou falsificação de substância alimentícia previsto no artigo 272 do Código Penal.

Os investigadores estavam em diligências próximo a Vila Olímpica, quando realizaram a abordagem de um dos suspeitos que estava sem documentos pessoais, e por este motivo foi acompanhado pelos policiais até o hotel em que estava hospedado.

Segundo o delegado, Maurício Maciel Pereira Junior, o fato chamou atenção dos investigadores, uma vez que no mês de dezembro houve a apreensão de mel falsificado em uma barraca na feira de Pontes e Lacerda, ocasião em que o comerciante disse que o seu fornecedor era de Vilhena (RO). 

No local, o investigado  também não apresentou os documentos pessoais e nem do veículo que estava conduzindo.  Questionado, o suspeito disse que é morador da cidade Vilhena (RO) e que estava na região para fazer vendas como autônomo de mel, porém alegou já ter vendido todo o produto que tinha em estoque.

Durante os trabalhos, o segundo suspeito chegou ao hotel e confirmou que eles trabalhavam com a venda de mel. Em buscas, os investigadores encontraram na lavanderia do hotel uma grande quantidade de garrafas do produto especificado como “mel”. As garrafas estavam sem tampas com moscas e abelhas mortas dentro do produto.

Diante da situação, foram selecionadas quatro garrafas do esoque que foram levadas à perícia que, em análise rápida, constatou que o produto não era mel de abelha. Comprovada a irregularidade, todo estoque de 312 garrafas de mel falsificado foi apreendido e os suspeitos encaminhados para Delegacia de Pontes e Lacerda. Com eles, também foram apreendidas duas motocicletas, uma caminhonete e uma carretinha.

Interrogados pelo delegado Maurício Maciel, os suspeitos confessaram que o produto era falso e para enganar os compradores, eles colocavam apenas uma pequena quantidade de mel de abelha na parte superior da garrafa.

“Como houve a apreensão do mesmo produto falsificado no mês de dezembro e tínhamos informações que os fornecedores eram de Vilhena, foi possível juntar as informações, fato que ajudou no esclarecimento do caso com apreensão de grande quantidade de produtos e  prisão dos envolvidos”, disse o delegado.

Tangará da Serra - De acordo com uma fonte policial, é possivel que esses individuos façam parte da mesma organização que comercializa mel adulterado na região de Tangará da Serra. "Existem muitas reclamações nesse sentido", afirmou. Esses vendedores ambulantes abordam as pessoas em frente as agências bancárias ou nas proximidades de casas comerciais. "Em caso de suspeita, avise a polícia para averiguar a situação", essa é a recomendação da PJC-MT

 

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT