Terça-feira, 23 de Julho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 09 de Dezembro de 2020, 11:03 - A | A

09 de Dezembro de 2020, 11h:03 - A | A

POLÍTICA / DESCASO COM A SAÚDE

Mulher com dores insuportáveis espera por cirurgia de vesícula em Tangará da Serra

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Genivalda.JPG

 

A dona de casa Genivalda Cavalcante, 24 anos, fez uma postagem no Facebook para chamar atenção das autoridades para o drama de saúde que ela enfrenta. Ela se encontra internada no Hospital Clínica da Crinaça de Tangará da Serra, onde aguarda uma cirurgia de vesícula. Exames revelaram que dona Genivalda tem pedras na vesícula e no canal do pâncreas.  

No Facebook, Genivalda relatou as dificuldades que encontra até mesmo para se alimentar e reclamou da postura de um médico, que teria olhado em seu rosto e dito que ela corre risco e que teria apenas cinco dias para pensar sobre seu caso. Pagar pela cirurgia ou permanecer na fila do SUS.  

“Se ele (o médico) sabe que é grave por que não esperar o pâncreas desinchar e fazer esse encaminhamento com urgência? É um descaso a nossa saúde pública. Se estou pelo sus é porque não tenho condições de pagar R$ 10 mil na retirada da vesícula e mais R$ 10 mil no exame chamado CPCRE. Ou será que vou ter que morrer para ser menos uma?”, questiona Cavalcante.  

CPCRE ou CPER é um exame que tem como objetivo detectar e tratar doenças do sistema digestivo que inclui a vesícula biliar, o pâncreas e os canais que drenam estes órgãos, bem como o fígado, segundo definição do site médico Minha Vida

Nossa reportagem entrou em contato com dona Genivalda, que, por meio de mensagem de WhatsApp, detalhou um pouco mais sobre o calvário que enfrenta. Ela disse que há quatro meses teve pancreatite e colecistite. Permaneceu internada por oito dias e foi mandada embora pra casa.  

Depois disso, Genivalda afirma que fez mais 5 dias de tratamento e que teve o acompanhamento da médica que atende em seu bairro. Recorda que sempre sentiu fortes dores. Ela lamenta que um médico, com o qual teria se consultado, pediu somente exame de tomografia e não uma ultrassonografia.  

“Eu sempre venho sofrendo com fortes dores desde que sai do hospital. Agora, nessa segunda internação, que outro doutor pediu a ultrassom, a qual descobriu que estou com o pâncreas inflamado e com pedras na vesícula e no canal do pâncreas”, escreveu dona Genivalda  

Genivalda Cavalcante relata ainda que o médico cirurgião Vladimir Sanches teria informado que ela precisa fazer uma CPRE para retirar a pedra do canal e depois se submeter a cirurgia para retirada da vesícula. Essa seria a alternativa para fazer o pâncreas dela a voltaria a funcionar normalmente. Ela acrescenta que o médico não deu esperança de que esses procedimentos fossem realizados o quanto antes.  

GENIVALDA C.JPG

 

“O médico teve a cara lavada de me dizer que iria demorar e que eu teria 5 dias pra pensar no meu caso. Como assim? Eu não tenho condições, estou viúva a menos de 3 meses, tenho um filho de 5 anos pra criar”, escreveu Genivalda, destacando que tem dias que não suporta de tanta dor.      

“Hoje (quarta-feira) veio outro doutor que disse quase a mesma coisa, porem me explicou que pode demorar para fazer a CPCRE e eu não posso ficar esperando, sabendo que o pâncreas é um órgão delicado e pode me trazer consequências. Enquanto não fazer a CPCRE e não retirar a vesícula, eu não vou ficar 100% boa”, relatou.  

Diante de tanto sofrimento, humilhação, dor e descaso do poder público, dona Genivalda tem um forte motivo para lutar por sua saúde: “eu só quero ficar boa pra cuidar do meu filho, nem que para isso eu precise entrar na justiça”.

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT