Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 13 de Abril de 2021, 00:20 - A | A

13 de Abril de 2021, 00h:20 - A | A

POLÍTICA / DENÚNCIA GRAVE

Após demissão, médico despeja graves denúncias contra hospital privado de Alta Floresta

Edésio Adorno
Cuiabá



O médico Wagner J. Miranda Jr. perdeu o emprego no Hospital e Maternidade Santa Rita, de Alta Floresta, mas manteve a pontaria e usou munição de grosso calibre para efetuar disparos na forma de denúncia contra o nosocômio.  

Miranda sustenta que sua demissão teve como pano de fundo questionamentos que teriam desagradado a direção do hospital. Segundo ele, médico que reclama da falta de medicamento e de estrutura de trabalho é demitido, como teria sido o seu caso. “Não existe humildade, nem humanidade de alguns dentro desse hospital”, argumentou.  

Em um texto publicado no Facebook, Wagner Miranda elenca uma série de irregularidade que estaria ocorrendo no Santa Rita, a começar pela falta de medicamento, inclusive ampola. Ele diz ainda que faltam respiradores para pacientes covid-19 e não existe computadores e impressoras para otimizar o trabalho dos médicos.  

O médico demissionário alega ainda que os donos do hospital estariam aproveitando da pandemia para lucrar com a situação. Miranda denunciou também que ventiladores teriam sido retirados de outras UTIs para maquinar uma UTI bonita para ser vista pelos auditores do SUS. “Depois que vão embora, volta a bagunça, com pacientes SUS misturados com pacientes de convênios e particulares”.  

A denuncia de Wagner Miranda movimentou o meio político, deixou a sociedade indignada e teve forte repercussão nas redes sociais. Em resposta ao questionamento de um internauta, o delegado Vinicius Nazário afirmou que a Polícia Judiciária Civil apura o caso.

O Ministério Público já teria colhido o depoimento do médico Wagner Miranda.

O prefeito Chico Gamba divulgou uma nota lacônica, na qual afirma ter conhecimento das denúncias publicadas pelo médico e que tomará as providencias cabíveis junto aos órgãos de fiscalização e ao Governo de MT. A direção do hospital ainda não se manifestou sobre as denúncias.

Os leitos UTI do Hospital Santa Rita são contratados pelo Governo de MT para tratamento de pacientes covid-19

Leia, na íntegra, o texto-denuncia do médico Wagner Miranda, tal qual foi redigido.  

"Hospital e Maternidade Santa Rita , melhor vocês realmente terem os 60 leitos com respiradores que funcionem , com medicações que não acabam com computadores e impressoras que funcionem para os profissionais fazerem suas evoluções , prescrever as medições que tem ,pq quando não tem a farmácia do hospital regula quantas ampolas somente pode ser usadas porque está e falta né , daí quando acaba resolve comprar , mas nos médicos que não somos donos né se reclamar é demitido igual fizeram comigo , não existe humildade nem humanidade de alguns dentro desse hospital , aproveitando pandemia para lucrar , tirando os ventiladores de outras UTI só para montar uma bonita para mostrar para a Auditoria do SUS , depois q vão embora , volta a bagunça toda , pacientes sus misturados com pacientes convênios e particulares e assim vamos . Prefeitura e ministério público já está ciente".

Comente esta notícia

Sônia Maria de paiva 13/04/2021

Uma possível vítima deste hospital senolgarem os boletim não condiz com o obto

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT