Terça-feira, 23 de Julho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 05 de Abril de 2021, 16:12 - A | A

05 de Abril de 2021, 16h:12 - A | A

POLÍTICA / FARRA DA CESTA BÁSICA

Vereadores e secretário de assistência social de Alto Paraguai promovem distribuição política de cestas básicas

O flagrante do que pode configurar grave crime contra a administração publica foi fartamente documentado pelo vereador Dr Júlio César Espirito Santo

Edésio Adorno
Tangará da Serra



vereador dr julio alto paraguai (1).JPG

 Vereador Dr Júlio flagra irregularidade na distribuição de cestas básicas

O pequeno e pobre município de Alto Paraguai volta a ser palco de mais um escândalo na administração pública. Desta vez, o caso se materializa na distribuição de cestas básicas pelos vereadores da base do prefeito Adair José Alves Moreira (MDB), Ivaldo Rodrigues de Oliveira, o Vadico e Adenor Pereira Gama, o Tuta. Vadico pertence ao mesmo partido de Adair e Tuta é filiado ao DC, que é presidido no município pelo Secretário de Assistência Social, Gilberto Chagas.

O caso

A Secretaria Estadual de Assistência Social (SETASC) entregou a prefeitura de Alto Paraguai 900 cestas básicas, que deveriam ser distribuídas para famílias carentes, previamente selecionadas e cadastradas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal.  

Não foi exatamente o que teria acontecido. A distribuição dos alimentos se transformou em ato político e de aglomeração, com risco real de propagação da covid-19 entre os beneficiários, notadamente idosos, portadores de comorbidade e, portanto, do grupo de risco.

A distribuição das cestas básicas aconteceu, na última sexta-feira (02), no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do munícipio.  

Para retirar o alimento, uma enorme fila se formou. Muita gente enfrentou o sol e teve que se submeter a longas horas de espera. Faltou organização.  

Alto Paraguai TUTA.jpg

Vereador Tuta é correligionário do secretário de ação social

“Enquanto idosos aguardavam sua hora para retirar a cesta básica, pessoas bem de vida desciam de carros, inclusive caminhonetes de marca, entravam pelas portas do fundo do CRAS e saiam com o produto em mãos”, denuncia uma vizinha do prédio, que tem câmera de filmagem e conseguiu documentar a facilidade obtida por alguns ilustres protegidos dos vereadores Tuta e Vadico.

Informado sobre o que estava acontecendo, o vereador Dr Júlio César Espirito Santo (DEM) compareceu ao local e, no exercício de suas prerrogativas de parlamentar, tentou entrar no prédio do CRAS, mas foi barrado.  

Ainda assim ele conseguiu provas suficientes, por meio de gravação de vídeo e de depoimento de testemunhas, que os vereadores da base do prefeito Adair estavam a favorecer eleitores com cestas básicas.  

Nossa redação teve acesso a diversos vídeo, áudios e imagens que em tese comprovariam as irregularidades praticadas pelos vereadores Tuta e Vadico, com a cumplicidade de Gilberto Chagas.  

Cesta basica alto paraguai.JPG

Beneficiários enfrentam fila ao sol enquanto favorecidos de vereadores retiram cestas básicas pelo portão dos fundos do CRAS

Preocupado com a ação fiscalizatória do Dr Júlio, o prefeito Adair postou uma mensagem no Facebook para informar tardiamente que as cestas básicas chegariam ao município e seriam entregues aos beneficiários em suas residências.  

O Secretário de Assistência Social, Gilberto Chagas, emitiu uma nota de esclarecimento para tentar livrar a cara de seu correligionário Tuta e do também vereador Vadico.  

Chagas disse que os vereadores compareceram aos CRAS para ajudar voluntariamente no descarregamento das cestas básicas e colaborar voluntariamente no trabalho de distribuição.  

“Esses vereadores (Tuta e Vadico) não vieram colaborar com nada. Eles foram vistos entregando cestas básicas para eleitores deles, inclusive pelo portão dos fundos do CRAS. Isso é sacanagem, politicagem barata. Fez bem o Dr Júlio comparecer e fiscalizar tudo”, afirmou uma idosa em mensagem de texto a redação deste site.  

Dr Júlio: vamos denunciar ao MPE  

vadico alto paraguai.JPG

 

Indignado com a situação, o vereador Dr Júlio declarou que vai pedir a abertura de uma Comissão Processante na Câmara de Vereadores para investigar o caso, que já está sendo conhecido como a “Farra das Cestas Básicas”.

Ele prometeu também formular uma denúncia junto ao Ministério Público Estadual.  

“Comigo não tem corporativismo, não vamos passar o pano para ninguém. Esse caso precisa ser investigado e os responsáveis punidos na forma da lei. Chega de imoralidade na administração pública”, afirmou o parlamentar  

“Na calada do feriado aprontaram essa lambança. Isso pode até afastar o prefeito, por autorizar uma aglomeração dessa desnecessária, por conta do Coronavírus, o próprio TJMT deixou bem claro isso, o comércio pode fechar, mas fazer política em pleno feriadão pode?”, questiona Dr Júlio.  

O parlamentar estuda ainda a possibilidade de entrar com representação contra os vereadores Vadico e Tuta. “Sobre os vereadores também cabe um pedido de afastamento pela câmara, assim como cabe ao MPE investigar e processar quem cometeu erro”, emendou   De acordo com Dr Júlio, a gestão municipal deveria muito bem levar as cestas básicas nas casas dos beneficiários.  

“Em apenas um dia de trabalho eles conseguiriam fazer isso de forma legal, correta. Mas preferiram fazer politicagem em cima de um direito das pessoas mais humildes do município. Essas cestas básicas são fornecidas pelo governo do estado e deveriam ser entregues apenas por servidores do CRAS e, se fosse o caso, com a colaboração de outros servidores da prefeitura, jamais por vereadores da base do prefeito”, concluiu o parlamentar  

Adair-José-Alves.jpg

 

O outro lado – procurado por nossa reportagem, o prefeito Adair afirmou que não houve irregularidade na distribuição das cestas básicas. Ele argumentou que os vereadores erraram, mas que a denúncia tem como pano de fundo ciúme entre os parlamentares. Adair acrescentou que suspendeu a entrega das cestas no CRAS e determinou que fossem entregues diretamente na residência dos beneficiários. O prefeito afirmou ainda que vai pedir a Polícia Judiciária Civil para que investigue o caso.

 

.

 

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT