Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 18 de Março de 2021, 09:47 - A | A

18 de Março de 2021, 09h:47 - A | A

POLÍTICA / FIM DO IMBROGLIO

1º suplente de deputado, Gilberto Cattani, é empossado na ALMT

Edésio Adorno
Tangará da Serra



posse 3.jpg

 

Não deu em nada a tentativa de golpe e de puxada de tapete do produtor rural e 1º suplente de deputado estadual pelo PSL, Gilberto Cattani. Depois de uma falsa e descabida celeuma sobre quem deveria assumir a vaga aberta com a morte prematura do deputado Silvio Fávero, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), cumpriu o regimento interno da Casa e, respaldado por um parecer da Procuradoria Jurídica, deu posse a Cattani.  

O 2º suplente do PSL, Emilio Populo, o Dr Viação Juína, chegou a protocolar um requerimento junto a Mesa Diretora da ALMT requerendo a vaga aberta com a morte de Fávero. Sua pretensão nem deveria ser analisada pelo chefe do legislativo estadual.

Não cabe a ALMT interpretar norma eleitoral, por jurisprudência ou doutrina. O diplomado é o primeiro. O segundo suplente que lute”, explicou o jurista Hélio Ramos.  

Insatisfeito, Dr Juína já antecipou que vai acionar a justiça eleitoral para tentar tomar no tapetão o mandato de Cattani. Deve sofrer nova derrota e a razão é simples. Gilberto Cattani saiu do PSL depois de sofrer ataques do ex-presidente do partido de Nova Mutum, Wilson Suzuki, que espalhou fake news nas redes sociais dando conta de que Gilberto teria se associado a invasores de terra. Acionado na justiça, Suzuki se retratou.

 

Sem ambiente para permanecer no PSL, vez que caluniado e difamado por membros do partido de Nova Mutum, Gilberto Cattani ajuizou ação civil e criminal contra o presidente da legenda, Wilson Suzuki. E mais: pediu e ganhou do presidente nacional do partido, deputado Luciano Bivar, uma carta de liberação para deixar o partido sem perder a condição de 1º suplente. Cattani se filiou ao PRTB e participou do pleito de 2020 como 1º suplente de senador da chapa do empresário Reinaldo Moraes.  

Em janeiro deste ano, o deputado Elizeu Nascimento e outras lideranças do PSL procuram Cattani e pediram para ele retornar ao partido. As conversas evoluíram e no dia 22 de fevereiro Gilberto assinou a fecha de filiação ao partido.  

Cattani e elizeu.jpeg

Deputado Elizeu Nascimento se encontra em janeiro de 2020 com Gilberto Cattani para convidá-lo a retornar ao PSL. Presente a reunião, Paulo Schenatto, que é assessor de Cattani.

De acordo com o deputado Elizeu Nascimento, que é um dos expoentes do PSL de MT, “os suplentes tem o direito de reivindicar (a vaga). É natural, mas cremos nas leis que Cattani é o legitimo sucessor (de Fávero). Cattani está filiado, assim como o 2° suplente”, afirmou  

Nascimento acrescenta que assim sendo, o 1º suplente Gilberto Cattani assume a cadeira na ALMT.

“O presidente da ALMT por precaução mandou os dois pedidos de posse para a procuradoria da ALMT analisar, para assim dar a posse amparado em uma tese”, declarou o parlamentar.  

“Cattani está legitimamente amparado a tomar posse, eu venho dialogando a meses com ele a retornar ao PSL e acabou atendendo em fevereiro. O partido PSL MT o reconhece como filiado ao PSL. A filiação dele está no sistema interno do PSL estadual e nacional”, concluiu Elizeu.

Agora a pouco, Max Russi deu posse a Gilberto Cattani na vaga que pertencia ao deputado Silvio Fávero. Além do parecer favorável da Procuradoria Jurídica da ALMT, diversos deputados manifestaram apoio ao 1º suplente suplente.

posse 2.JPG

 

"Não teria sentido deixar de empossar alguém que teve mais de 11 mil votos para prestigiar um candidato que teve pouco mais de 6 mil votos. Além do que não cabe a ALMT entrar nessa questão de fidelidade partidária. Isso se resolve na justiça. Parabéns ao presidente Max pela acertada decisão e sucesso ao novo deputado Gilberto Cattani", declarou o deputado Dr. João Matos (MDB).  

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT