Terça-feira, 18 de Junho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 03 de Junho de 2020, 20:26 - A | A

03 de Junho de 2020, 20h:26 - A | A

POLÍTICA /

Suspeito de Caixa 2, Favaro entra em isolamento domiciliar e coloca a língua de quarentena

EDÉSIO ADORNO



Há quase 30 dias, a juíza aposentada Selma Arruda, que teve o mandato de senadora cassado pela justiça eleitoral, acusou seu algoz e substituto no senado, Carlos Favaro (PSD), de ter praticado caixa 2 na última eleição. Em entrevista à TV Pantanal, Arruda afirmou que o Ministério Público Federal (MPF) teria ignorado uma ação milionária de cobrança que tramita no Fórum de Cuiabá, na qual um empresário executa uma nota promissória assinada por Favaro.  

“O credor é uma gráfica onde foi feita dívida de campanha, e o MPF não está nem aí. É uma dívida bem vultosa. É um dinheiro que não foi declarado na campanha, então é caixa 2. Todo mundo sabe que uma empresa tem que emitir nota fiscal do que faz e isso gera uma duplicata e o MPF não faz nada”, denunciou a magistrada aposentada.  

Depois da denúncia de Selma, o MPF instaurou um inquérito para investigar a suposta pratica de Caixa 2 pelo afilhado político do rei da sonegação, Eraí Maggi, Carlos Favaro, que, mesmo rejeitado nas urnas, foi agraciado pelo presidente do STF, Dias Toffoli, com uma cadeira no senado da República. Coisas de uma Suprema Corte que não cansa de provocar a opinião pública e de debochar do povo. Tempos difíceis.  

O inquérito do MPF colocou luz sobre as cabriolas políticas e artimanhas do senador biônico. A verdade emergiu alvissareira do processo de execução de título executivo extrajudicial: duas notas promissórias que somam mais de R$ 500 mil que foram assinadas por Favaro ainda durante a campanha eleitoral de 2018. As cártulas pertencem a Gráfica Print, que produziu o material de campanha do então candidato ao senado Carlos Favaro e, provavelmente, dos estaduais e federais de sua coligação.  

Esse gasto milionário não consta na prestação de contas do senador biônico, o que configura, em princípio, Caixa 2.

Será que os togados do TRE serão céleres ao receber eventual denúncia do MPF contra Carlos Favaro pela abomin?

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT