Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

POLÍCIA Terça-feira, 15 de Junho de 2021, 07:08 - A | A

15 de Junho de 2021, 07h:08 - A | A

POLÍCIA / INDIGNAÇÃO

Cliente denuncia agressão e racismo após acusação de furto em loja de shopping em Cuiabá

Da Redação
G1/MT



O servidor público Paulo Arifa comprou um sapato e, na saída, foi abordado por seguranças do shopping e uma funcionária da loja. Ele disse que foi empurrado e teve uma torção no tornozelo. Shopping abriu processo administrativo para apurar caso.

Um servidor público federal denunciou ter sofrido agressão e racismo ao ser acusado de furto na saída de uma loja de um shopping em Cuiabá, na última quarta-feira (9).

Paulo Arifa, de 38 anos, que é negro, disse que comprou um sapato e, ao sair para ir em outra loja, foi abordado por cinco seguranças e uma funcionária, que exigiram a nota fiscal do produto.

Paulo contou que decidiu comprar o sapato e a roupa às pressas para participar de uma reunião do trabalho, que tinha sido antecipada. Como estava de bermuda e chinelo, ele foi até o shopping.

"Escolhi o calçado, paguei no caixa e a moça perguntou se eu queria sacola, eu disse que não. Ela retirou o dispositivo de segurança e eu calcei ali mesmo. Segui para uma loja de roupas e na saída do provador fui abordado. Demorou para cair a ficha que a abordagem era comigo”, contou.

No mesmo dia, o sevidor registrou um boletim de ocorrência contra a loja. A Polícia Civil solicitou exames de corpo de delito e imagens das câmeras de segurança do local, que devem ser entregues em até 10 dias. A ocorrência é investigada pela 2ª Delegacia de Cuiabá.

Em nota, o Pantanal Shopping disse que abriu um processo administrativo interno para apurar o caso (leia íntegra da nota abaixo).

Conforme a ocorrência registrada na polícia, Paulo sofreu injúria, calúnia e lesão corporal.

Ao G1, ele contou que, devido ao constrangimento, ficou nervoso e não conseguia localizar a nota fiscal do produto no momento da abordagem.

Em seguida, ele disse que os fiscais tentaram conduzi-lo para a sala segurança do local, momento em que um dos funcionários o segurou e o empurrou.

“Iniciei as filmagens após tentar resolver o conflito de outras maneiras, após tentar localizar a nota, mas aí já era tarde demais. Ainda estou assustado e com medo. Quando me vi cercado por seguranças querendo me conduzir lembrei do caso do João Alberto, morto pelo segurança. Achei que algo pior poderia acontecer”, relatou 

A vítima disse que pisou em falso por causa do empurrão e machucou o pé. Depois de alguns minutos, ele conseguiu localizar a nota que comprovava a compra, e foi liberado pelos seguranças.

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT