Quarta-feira, 12 de Junho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 11 de Novembro de 2020, 15:50 - A | A

Quarta-feira, 11 de Novembro de 2020, 15h:50 - A | A

ETA DO QUEIMA PÉ

Imagens exclusivas mostram uma realidade que Junqueira insiste em esconder da população

Edésio Adorno
Tangará da Serra

Publicidade e transparência são dois princípios constitucionais que norteiam a administração pública.  

O povo tem o direito de saber a verdade e o gestor público tem o dever de manter a população bem informada sobre fatos ou ocorrências que podem afetar negativamente suas vidas. A falta de água, que é um bem de consumo de primeira necessidade, gera profundo mal-estar social.  

É fato que Mato Grosso enfrenta a pior estiagem dos últimos 100 anos. Também é fato que em consequência da ausência de chuva, rios e córregos estão com baixíssimo volume de água. A situação das represas que abastecem a Estação de Tratamento de Água de Tangará da Serra não poderia ser diferente. Estão praticamente secas. E a situação preocupa.  

Se vai faltar água nas torneiras da população ou se atravessaremos o período de estiagem com caixa cheia, ninguém pode afirmar com segurança. A resposta depende das condições meteorológicas. Se não chover em quantidade razoável dentro de 20 dias, técnicos do Samae alertam para o risco de colapso do sistema.  

Em uma postagem agressiva no Facebook, na qual rotula um vereador de crápula, o prefeito Fábio Martins Junqueira afirmou que quatro represas privadas estariam reservadas para manter o abastecimento da cidade. Mas até quando?  

A experiência recomenda não levar muito a sério o discurso de Junqueira. Em 2016, tanto ele quanto o então diretor do Samae, Wesley Lopes, juraram de pés juntos que não faltaria água nas torneiras de Tangará da Serra. Terminaram as eleições e o caos se instalou. Todo mundo sabe disso.  

O problema da água não se resolve com retórica, xingatório ou ofensas a adversários políticos. Aliás, o que se pode fazer nesse momento é apenas manter a população informada quanto a real situação do sistema para evitar surpresas desagradáveis.  

Nossa reportagem acompanhou o vereador Claudinho Frare (Republicanos) a uma visita a ETA do Queima.

Pela primeira vez, uma equipe de reportagem de reportagem filmou a régua de medição do volume de água. Na represa visitada, o volume do precioso liquido está abaixo da reserva técnica.

Assista o vídeo e tire suas próprias conclusões.

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT