Segunda-feira, 24 de Junho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 22 de Julho de 2020, 21:20 - A | A

22 de Julho de 2020, 21h:20 - A | A

POLÍTICA / Baliza/GO

Pré-candidato a prefeito deve usar palanque para explicar crimes cometidos contra a administração pública

EDÉSIO ADORNO
Redação



Depois da operação Lava-Jato, que deflagrou a maior ação de combate a corrupção já realizada no País e culminou com a prisão de peixes graúdos da política e da iniciativa privada, surgiu um forte sentimento de intolerância com o malfeito na administração pública. As redes sociais se consolidaram como ferramentas de construção da cidadania coletiva.  

A ascensão da direita ao poder, com a vitória expressiva do presidente Jair Bolsonaro, representa um alerta claro aos malandros que sempre se fartaram com o dinheiro do contribuinte, se empenharam na conquista do poder pelo poder ou apenas para acessar os cofres públicos. O povo não admite mais ser roubado, espoliado. Chega de corrupção!  

O cidadão, que é o soberano dono do poder, agora tem filtro para selecionar quem é digno do seu voto e quem merece ser mandado para as calendas do ostracismo. O histórico de vida e de atuação política de cada pretenso candidato a qualquer cargo eletivo interessa e deve ser analisado cuidadosamente. Essa regra é válida para escolhe do vereador ao presidente da República.  

No próximo dia 15 de novembro, assim como acontecerá em todas as cidades brasileiras, a população de Baliza/GO vai às urnas para escolher prefeito e vereadores. Um dos pré-candidatos a prefeito é o vereador Marcos Rodrigues Costa, mais conhecido como Marcos da Verdura, que ostenta um belo e extenso prontuário policial, sendo processado por crimes contra a administração pública e suspeito de aplicar golpes até em particulares. Sobre isso, no entanto, vamos falar no próximo post. Aguarde!         

 

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT