Segunda-feira, 15 de Julho de 2024

BISTURI Sexta-feira, 09 de Abril de 2021, 09:31 - A | A

09 de Abril de 2021, 09h:31 - A | A

BISTURI / OMISSÃO DO SENADO

CPI da Pandemia é a 4º que o STF manda senado instalar



Os governos petistas de Lula e Dilma Rousseff enfrentaram três CPIs no Senado da República, que foram abertas por determinação de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). À época, a oposição ao governo de esquerda rasgou elogios aos ministros da Suprema Corte. Agora, o disco virou. O mesmo STF determinou que o senado instale uma CPI para investigar possíveis irregularidades cometidas pelo governo federal no comabte a pandemia da covid-19.      

CPI DOS BINGOS - em junho de 2005, por nove votos a um, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), instalasse a Comissão  Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do ex-assessor parlamentar da Casa Civil da Presidência da República, Waldomiro Diniz, que foi acusado de tentar extorquir dinheiro do empresário goiano do jogo do bicho, Carlos Cachoeira.

CPI DO APAGÃO AÉREO - no final de março de 2007, o ministro Celso de Mello, do STF, concedeu hoje liminar em mandado de segurança do PSDB, PFL e PPS, suspendendo os efeitos de recurso do PT contra a CPI do Apagão Aéreo, que havia sido aprovado pelo Plenário da Câmara.   Mello determinou o desarquivamento do requerimento de criação da CPI. A decisão do togado deixou o governo petista em apuros e a oposição comemorou o feito.  

CPI DA PETROBRAS - em abril de 2014, durante o governo Dilma Rousseff, a ministra Rosa Weber determinou que o Senado instalasse uma CPI exclusiva para investigar irregularidades na Petrobras.   Weber atendeu a pedido de parlamentares de oposição à época que queriam ter garantido o direito de uma comissão específica para investigar denúncias sobre a estatal, que incluem a compra de uma refinaria no Texas (EUA), suspeita de superfaturamento, e pagamento de propina a funcionários.

(Conteúdo: Câmara dos Deputados, Conjur e G1)

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT