Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

POLÍCIA Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 15:49 - A | A

Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 15h:49 - A | A

CRIME BRUTAL EM PARANAÍTA

Polícia prende no Pará homem que matou funcionário da Energisa; caso foi notícia na Bronca em 2017.

Após cinco anos de investigação, policia descobre esconderijo e prende assassino de funcionário da Energisa

Da Redação

No final da tarde de uma segunda-feira, 24 de julho de 2017, a reportagem deste saite - à época blog - recebeu a notícia do brutal e covarde assassinato a bala do funcionário da Energisa, Gilmar Francisco de Olieveira, 33 anos de idade, 14 dos quais dedicados a empresa. Alvejado por tiros de espingarga calibre 20, o corpo do eletricista ficou pendurado em um poste, preso pelo cinto de segurança. A execução foi atribuida ao criminoso Wilson Campanheiro, que fugiu depois de tirar a vida do trabalhador. 

Funcionário da Energisa é alvejado a bala ao cortar energia de consumidor inadimplente (atualizada)

Crime e castigo

PC Paranaita.jpeg

 Policiais que investigaram o caso, descobriram o esconderijo do criminoso e efeturam sua prisão no Pará 

Após cinco meses de investigação para chegar ao paradeiro do autor de um homicídio, ocorrido há seis anos, em Paranaíta, no norte do estado, a Polícia Civil de Mato Grosso prendeu nesta quinta-feira (08.12) o responsável pela morte do eletricista Gilmar Francisco de Oliveira. A vítima foi morta após ir à residência do criminoso religar a energia do local, que foi cortada por falta de pagamento.

Wilson Campanheiro, 56 anos, foi preso pela equipe da Delegacia de Paranaíta na cidade de Itaituba, no Pará. Ele foi condenado, há duas semanas pelo tribunal do júri da Comarca de Paranaíta, a 16 anos de prisão em regime fechado.

A investigação, que foi desde a quebra de sigilo de dados ao cumprimento de mandado de busca e apreensão, reuniu informações que possibilitaram a localização do autor do crime. A equipe da Delegacia de Paranaíta se deslocou até Itaituba, e após cinco dias de campana, e com o apoio da Polícia civil do Pará e do Núcleo de Inteligência da Regional de Alta Floresta, conseguiu cumprir a prisão foragido da Justiça.

O criminoso foi localizado em uma fazenda, na região rural de Itaituba, e usava o nome falso de Pedro.

“Ele estava escondido em uma cidade há mais de mil quilômetros de onde cometeu o crime. E com o empenho da equipe da Delegacia de Paranaíta, do trabalho com o Núcleo de Inteligência conseguimos localizá-lo e dar uma resposta à família da vítima”, pontuou a delegada de Paranaíta, Paula Barbosa.

.

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT