Sábado, 22 de Junho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 19 de Novembro de 2020, 09:47 - A | A

19 de Novembro de 2020, 09h:47 - A | A

POLÍTICA / DIREITA DESUNIDA

Candidatos ligados a Bolsonaro conquistam 535 mil votos, mas perdem cadeira no senado para Favaro

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Figura caricata e emblemática durante o período de chumbo, o general Newton Cruz deixou uma celebre frase que pode ser empregada para definir o comportamento da chamada direita de Mato Grosso. “A esquerda não se une nem na cadeia”, vaticinou o então chefete do serviço de repressão da ditadura militar.  

Os ditos próceres de Bolsonaro no estado também não sabem o significado da palavra coesão. Marcharam desunidos e em processo autofágico para as urnas.  

Se engalfinharam e se acotovelaram com força. Sem espirito de unidade, se empenharam tanto para mostrar quem era mais próximo do presidente que acabaram sendo engolidos pelo candidato do centrão, Carlos Favaro (PSD).

Favaro permanece no senado com 371.857 votos. Uma votação expressiva, é verdade. Mas a soma dos votos atribuídos a coronel Fernanda, José Medeiros, Elizeu Nascimento e Reinaldo Moraes corresponde a 535,795 sufrágios. Logo, uma votação superior à de Favaro e Leitão juntos. A direita, portanto, deixou de conquistar a cobiçada cadeira na Câmara Alta por mero capricho e vaidade.    

O deputado Elizeu Nascimento não teve uma votação própria de candidato viável ao senado. Reinaldo Moraes, o Rei do Porco, saiu nanico da disputa, desgastou a imagem da juíza Selma Arruda e deixou seu primeiro suplente Gilberto Cattani em situação periclitante. “O empresário de sucesso” foi o lanterna na disputa, teve apenas 36.545 votos.        

 

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT