Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

POLÍTICA Domingo, 18 de Abril de 2021, 23:36 - A | A

18 de Abril de 2021, 23h:36 - A | A

POLÍTICA / ALCAGUETA DA DIREITA

Canibalismo na Direita de MT: Adavilson Azevedo se apresenta como X-9 e entrega dossiê a Bolsonaro!

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Recentemente, Adavilson Azevedo, juntamente com outros supostos militantes da direita de Mato Grosso, tiraram plantão na porta do palácio Alvorada, em Brasília, a espera de ver e falar com o presidente Jair Bolsonaro

Quando Bolsonaro apareceu, Azevedo conseguiu se aproximar dele e imediatamente caprichou na alcaguetagem.

Disposto a fazer uma média com o presidente, quem sabe em busca de alguma recompensa, Adavilson não perdeu tempo:  

“Fomos coordenadores de campanha, desde 2014, em Mato Grosso. Da Selma (senadora), Barbudo (deputado federal), Claudinei (Deputado delegado Claudinei) e deputado Silvio Fávero. E fomos coordenadores de campanha da Coronel Fernanda. MT é nóis. E a gente trouxe umas informações para o senhor e a gente queria ver como a gente passa isso aí para o senhor. É muito importante. É nossa bomba”  

Demonstrando pouco interesse na fofoca, Bolsonaro se limitou a dizer: “conheço um pouquinho do que tá acontecendo la”.

Sem respirar, o X-9 completa: “Eu trouxe tudo, com vídeo, com tudo. Se o senhor passar alguém pra gente falar”.

O capitão então indica um militar fardado e se afasta para atender outro apoiador.    

É provável que no dossiê que Adavilson elaborou e entregou ao presidente Jair Bolsonaro o nome dele não esteja inserido.

E a razão seria de obviedade ululante.  

O X-9, alcagueta ou simplesmente dedo duro, geralmente é um ser pequeno, frustrado e ressentido, que busca prejudicar outrem para tentar se engrandecer, ser visto e, quem sabe, recompensado de alguma forma.  

No áudio captado durante sua fala com Bolsonaro fica evidente que Adavilson, o X-9, mentiu com força bruta. Ele não foi coordenador da campanha vitoriosa da juíza Selma Arruda ao senado coisa nenhuma. Também não teve atuação prodigiosa na campanha do deputado delegado Claudinei e muito menos na eleição do falecido deputado Silvio Fávero.  

Azevedo foi um colaborador comum, sem exercer nenhum protagonismo, até porque é um néscio em termos de articulação política. Ainda assim, foi contratado pela senadora Selma, mas dois meses depois foi demitido do gabinete “devido a gastos não republicanos com combustível, marmitex e diárias de carro”.  

A esposa do X-9 esteve lotada por algum período no gabinete do falecido deputado estadual Silvio Fávero.   Sem nenhuma teta ou sinecura em algum gabinete da ALMT, Adavilson resolveu plantar discórdia entre os militantes de direita de Mato Grosso.

É provável que seu dossiê tenha sido recheado de fofocas e maledicências contra o federal Nelson Barbudo e os deputados estadual Delegado Claudinei e Gilberto Cattani.

O X-9 tentar atrair para si os holofotes e a atenção do presidente Bolsonaro, enquanto se esforça para derrubar algumas figuras da direita. Obviamente que seus esforços serão em vão. Bolsonaro jamais vai se quiar por fofoca de uma alma penada.

Assista o vídeo:

    

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT