Segunda-feira, 24 de Junho de 2024

POLÍTICA Domingo, 23 de Agosto de 2020, 10:30 - A | A

23 de Agosto de 2020, 10h:30 - A | A

POLÍTICA / Baliza/GO

Pré-candidato a prefeito diz que sobrinho tem autorização para ‘bater na cara de qualquer pessoa’

EDÉSIO ADORNO
Da Redação



Waleria Nolasco Vanderley é irmã da prefeita da cidade goiana de Baliza/GO, que faz divisa com Torixoréu/MT, Fernanda Nolasco Wanderley. Ela é proprietária de uma loja de conveniência, onde amigos se encontram para bater papo, tomar uma cervejinha ou simples para comprar e levar para casa.  

Essa é a rotina de qualquer loja do ramo ou de qualquer outro segmento comercial em uma cidade tradicionalmente pacata como Baliza, que ainda preserva hábitos e valores de uma sociedade rural e de princípios cristãos.  

Infelizmente, na tarde do último domingo (16/08), um cidadão que deveria ser exemplo de retidão de caráter, de conduta e de probidade, aprontou mais uma ação de agressividade, de abuso e de atrevimento. O indivíduo que deveria espelhar os valores amalgamados na alma do povo balizense é o vereador e pré-candidato a prefeito, Marcos Rodrigues da Costa, mais conhecido pelo apelido de Marcos da Verdura.  

Se sentindo ameaçada, coagido e com medo, a empresária Waleria compareceu a Companhia da Polícia Militar para registrar um Boletim de Ocorrência contra o indigitado vereador Marcos da Verdade.  

No documento policial, que A Bronca Popular teve acesso, relata a comerciante que na tarde de domingo, W.C passou em seu estabelecimento comercial, comprou cervejas e logo após saiu em seu veículo, uma pick-up, em alta velocidade e exibindo manobras perigosas.  

Em seguida, segundo consta no BO, o esposo da empresária, Wendes Pereira da Silva, ao sair para uma reunião, deparou-se com o vereador Marcos Rodrigues da Costa, que teria sido alertado sobre a conduta de seu sobrinho. “O vereador disse que não tinha nada a ver com isso. Wendes pereira frisou que essa atitude poderia causar um acidente e vitimar alguma criança. Após 20 minutos, Marcos parou seu veículo hilux em frente ao Bibi Conveniências acompanhado de sua esposa e dois sobrinhos.

Waleria relatou ainda no BO que eles estavam bastante alterados, procurando por seu esposo e pedindo explicações e provas sobre o fato ocorrido com seu sobrinhos W.C. A comerciante teria dito que seu esposo não se encontrava no local. “No local haviam clientes realizando compras e não se importando com as pessoas presentes, o senhor Marcos Rodrigues da Costa falava em voz alta e estava muito agressivo”.  

Em outro trecho do BO, Waleria relata o que teria ouvido do vereador e pré-candidato a prefeito. “Ele disse ainda que seu sobrinho era sangue dele, que não tinha que abaixar a cabeça para nenhum vagabundo, que tinha que ser homem e não moleque e que estava autorizado a bater na cara de qualquer pessoa, pois tinha seu apoio”.  

A atitude agressiva do vereador teria deixado a empresária assustada e seus filhos, que presenciaram toda aquela deprimente situação, “começaram a chorar com receio de que algo acontecesse com o pai deles”. “Os clientes que estavam no estabelecimento ficaram perplexos com tamanha ignorância, vindo de uma pessoa pública”, relato

Waleria acrescentou ainda que ela e sua família se sentiram humilhados e envergonhados com a atitude do político. “Fomos intimidados dentro de nossa casa e estabelecimento comercial”.

Ainda segundo o documento policial, a empresaria contou que sua que sua filha adolescente não para de chorar e teria ficado “horrorizada com agressão psicológica e brutalidade do acusado”.  

“Essa atitude do acusado causou danos irreparáveis e afirma também que toda vizinhança, clientes e comunidade balizense ficaram sabendo do fato. Isso gerou desconforto à sua moral, honra e dignidade”, concluiu.

Leia mais sobre o temaPré-candidato a prefeito deve usar palanque para explicar crimes cometidos contra a administração pública 

Quem é Marcos da Verdura – o cidadão denunciado pela empresária Waleria Nolasco Vanderley ainda não tem condenação com trânsito em julgado. É tecnicamente ficha limpa e pode disputar as próximas eleições. Mas a história do vereador é bastante nebulosa.   Marcos da Verdura já foi afastado da Câmara pela suspeita de atos de corrupção. Em 2014, quando o legislativo abriu uma CPI para investiga-lo por tentativa de compra de votos para se eleger presidente da Câmra de Vereadores, ele teria agredido o advogado Antonio Filho e uma vereadora, que teria sofrido ferimentos no rosto durante a confusão, precisou de atendimento médico.  

Estranhamente o suposto pré-candidato a vice de Marcos, há 06 anos atrás, teria sido favorável à CPI para investiga-lo. Tem ainda um vereador que apoia Marcos, mesmo sabendo de sua confusa atuação. O caso de uma carregadeira que teria sido adquirida e vendida sem pagar o verdadeiro dono também é atribuído ao político que sonha em governar Baliza

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT