Terça-feira, 23 de Julho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 10 de Março de 2021, 10:25 - A | A

10 de Março de 2021, 10h:25 - A | A

POLÍTICA / LOUCURA TOTAL

Tangaraense ligado a deputado Ulisses Moraes defende intervenção militar e achincalha Judiciário e MPE

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Surgiu nos grupos de WhatsApp de Tangará da Serra um aloprado chamado Elizeu Castanho. Ele se refere ao prefeito Vander Masson como sendo anêmico, fraco e sem atributos para defender os interesses do povo. O deputado Dr João é rotulado de infame.

O governador Mauro Mendes é considerado um “lixo” por Castanho, que tem fortes ligações com o despirocado deputado Ulisses Moraes (PSL)   Castanho não para suas sandices por aí.

Ele ataca frontalmente o judiciário e diz que o MPE está massacrando o povo. As 171 pessoas que já morreram de covid-19 em Tangará da Serra não comovem o valentão de WhatsApp.  

Elizeu Castanho, que representa a si mesmo e aos interesses políticos de Moraes, defende o funcionamento do comércio sem restrição de horário e liberdade total para vírus agir, acamar e matar por asfixia mais e mais pessoas da comunidade. O limite do buliçoso é a ausência de limites!  

Na manhã desta quarta-feira, Castanho resolveu flertar com o crime. Num texto publicado em grupos de WhatsApp, o adepto de Ulisses Moraes defendeu intervenção militar como única alternativa para o País. “Sou obrigado a dar a mão à palmatória e admitir que talvez a catástrofe da intervenção militar seja a saída menos traumática”, escreveu  

Tramita no STF inquérito policial que investiga atos antidemocráticos, ilegais e atentatórios as instituições republicanas.

Criticar pessoas, autoridades é uma coisa totalmente diferente de patrocinar o desmonte das instituições democráticas. A Polícia Federal precisa conduzir Castanho no confessionário e saber exatamente o que ele pretende com a defesa de intervenção militar – eufemismo de ditatura.  

Nos grupos de WhatsApp, Elizeu mobiliza a sociedade e tenta arrebanhar incautos para promover atos de achincalhamento ao judiciário, ao prefeito Vander e ao MPE. Faixas e cartazes já teriam sido providenciados para o ato, que está previsto para acontecer até final de semana. Resta saber quem vai seguir o revolucionário de WhatsApp em manifestação em frente ao prédio do MPE de Tangará da Serra.  

Na íntegra, o artigo de Castanho    

Eu não sei mais o que dizer. Diante dos últimos acontecimentos não há como não lembrar daquela frase antológica de Rui Barbosa que termina com "... o homem riu-se da honra e teve vergonha de ser honesto.".  

Digo isso porque não creio mais que esse país possa ser colocado no rumo pelos meios democráticos.  

O Brasil está preso em trilhos, sendo impossível de ser tirado sem que haja uma grande catástrofe. Como um trem em alta velocidade que tem um precipício à frente. Se sair dos trilhos é quase morte certa, se ficar nos trilhos é morte em vida com um governo de esquerda que se aproxima.  

O que decidir?  

Sou obrigado a dar a mão à palmatória e admitir que talvez a catástrofe da intervenção militar seja a saída menos traumática, mesmo que gigantesca. Mesmo que a médio e longo prazo a colheita seja do pesadelo da entrega do poder para a esquerda, mas o momento urge de ação, infelizmente. É preciso desmantelar o projeto de poder do PT e, talvez, mesmo sabendo ser impossível, consigamos consertar os trilhos com o trem andando.  

É péssimo bater continência para seres acéfalos que calçam botina, mas será pior bater continência para ladrões, corruptos e bandidos como as lideranças do PT, que espreita à beira do caminho para entrar no trem e conduzi-lo ao abismo.

Duro é saber que boa parte quer isso. Esse é o panorama. Morramos por opção ou por inércia.

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT