Sábado, 13 de Julho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2021, 09:27 - A | A

25 de Janeiro de 2021, 09h:27 - A | A

POLÍTICA / PRESIDENTE TJ-MS

Carlos Cantar: “Desprezemos o irresponsável, o covarde e picareta de ocasião, que afirme fique em casa”

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Em discurso de posse na presidencia do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, o desembargador Carlos Eduardo Contar rasgou o verbo, mandou indiretas aos mercadores da morte e alertou a população quanto a necessidade de não paralisar as atividades economicas em nome da histeria funebre propagandeada pela corrompida e partidária grande mídia.

A fala de Cantar teve grande repercussão nacional e foi parar nas midias do presidente Jair Bolsonaro.  

A seguir, um trecho do corajoso discurso do magistrado Cantar e, ao final, um vídeo: 

Combatendo a histeria coletiva, a mentira global, a exploração política, o louvor ao morticínio, a inadmissível violação dos direitos e garantias individuais, o combate leviano e indiscriminado a medicamentos, que se, não curam - e isto jamais fora dito -, podem simplesmente no campo da possibilidade, ajudar na prevenção ou diminuição do contágio, mesmo não sendo solução perfeita e acabada.  

Porém, como já dito ao início, razões de ordem prática recomendam meu silêncio. Primeiro, para não ser penalizado, nestes tempos de caça às bruxas, onde até o simples direito de manifestar qualquer opinião que não seja a da grande mídia corrompida e partidária, também, porque a idade vai ensinando, que melhor do que estar certo, é ser feliz, mesmo que padecendo com a revolta, a indignação, e o inconformismo.  

Também, porque já me alongo nesta fala, e não gostaria de deixar a má impressão de ser inconveniente. Voltemos nossas forças ao retorno ao trabalho. Deixemos de viver conduzidos como um rebanho para o matadouro daqueles que veneram a morte, que propagandeiam o quanto pior melhor.  

Desprezemos, pois, o irresponsável, o covarde e picareta de ocasião, que afirme “fique em casa”, “não procure socorro médico com sintomas leves”, “não sobrecarregue o sistema de saúde”. É. Paciência, senhores. Os tempos realmente são estranhos.  

Mostremos nós, trabalhadores do serviço público, responsabilidade com os deveres e obrigações com aqueles que representamos. E, por isto mesmo, retornemos com segurança, pondo fim à esquizofrenia e à palhaçada midiática fúnebre, honrando nosso salário e nossas obrigações, assim como fazem os trabalhadores da iniciativa privada, que precisam laborar para sobreviver, e não vivem às custas da viúva estatal, com salários garantidos no fim de cada mês.

Assista o vídeo:

  

 

Comente esta notícia

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT