Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

POLÍTICA Domingo, 30 de Maio de 2021, 16:42 - A | A

30 de Maio de 2021, 16h:42 - A | A

POLÍTICA / REVOLTA EM ARIPUANÃ

Polícia apreende maquinários em garimpo de Aripuanã e gera onda de indignação: "queremos trabalhar legalizados’

Edésio Adorno
Tangará da Serra



Com direito de exercer atividade mineral sobre uma área de 5.304,39ha, a Nexa Resources executa o maior projeto da indústria mineral de Mato Grosso e seu poderio vai além do imenso território licenciado pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).

A empresa praticamente controla o poder público municipal de Aripuanã.

O fato de ser a maior geradora de empregos, tributos e de pagar compensações a cidade inibe e desencoraja qualquer questionamento.  

A Nexa, portanto, manda e desmanda em Aripuanã! Na última sexta-feira, forças policiais retiraram garimpeiros que trabalhavam “ilegalmente” na extração de ouro na Serra do Expedito, apreenderam 6 PCs e 18 motores. Sem apoio político, restaram aos trabalhadores lamentar e protestar pelo ocorrido.

garimpeiro chora 1.JPG

 "Garimpeiro não é bandido, é trabalhador", diz mensagem na camisa do homem que gravou o vídeo para denunciar a situação

Um garimpeiro gravou um longo vídeo e postou nas redes sociais. Indignado, o homem cobrou providencias das autoridades, expôs a situação de desemprego que assola o país e pediu que uma área seja legalizada e destinada aos garimpeiros. Se o poder público municipal, deputados estaduais, federais e senadores não emprestarem apoio a causa, a voz do garimpeiro corre o risco de ter repercussão apenas nas redes sociais. “Queremos trabalhar legalizados, seus hipócritas da porra”, afirmou em tom de indignação.

O presidente da Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros de Aripuanã (Coopemiga), Antônio Vieira da Silva, informou a nossa reportagem que os garimpeiros tem permissão legal para explorar uma área de apenas 516 hectares.

Ele reconhece que a extensão da área é pequena e não comporta além dos 1.500 garimpeiros cadastrados. “Somos solidários aos garimpeiros que tiveram seus equipamentos apreendidos. Na segunda-feira, vamos a Cuiabá conversar com o presidente da Metamat e do DNPM em busca de um acordo”, afirmou  

Antonio Vieira afirmou ainda que a questão ambiental precisa ser respeitada e que a legalização de uma nova área para exploração pelos garimpeiros seria a alternativa mais apropriada. “São pais de família que precisam trabalhar para levar o sustento para casa”, concluiu

Assista o vídeo

 

Comente esta notícia

Elielcio 30/05/2021

SOMOS TRABALHADORES.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

(65) 99978.4480

[email protected]

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT